:. Dicas sobre monitores

 Por Carlos E. Morimoto
 http://www.guiadohardware.net
 08/03/2001


Tenho uma dúvida sobre monitores. Certa vez, li em um determinado site, que
não se deve usar os recursos de economia de energia dos monitores atuais
(DPMS) pois quando o monitor entra no estado de mínimo consumo (praticamente
desligado) os componentes internos dele estão, na verdade, sendo
sobrecarregados (no site aparece como "estressados") o que diminui o tempo
de vida do equipamento. Que o certo seria que o monitor ficasse desligado
nos períodos de ociosidade e que, nesse caso, se evitasse ligá-lo num
período inferior a 1 hora bem como de ligá-lo muitas vezes ao dia. Isso é
correto?

Realmente o uso dos recursos de economia de energia do monitor, dependendo da freqüência com que o monitor for ligado e desligado, ou entrar em modo standby pode diminuir a vida útil do equipamento. Mas, isso não acontece pelos componentes serem "sobrecarregados" no modo standby, mas sim por que eles são sobrecarregados momentaneamente quando o monitor volta à atividade. O mesmo o ocorre, de forma um pouco mais intensa quando ele é desligado e religado. Por isso, é justa a recomendação de não desligar o monitor, ou coloca-lo em modo standby caso ele vá ficar ocioso por menos de uma hora.


Outra. Que no uso normal não se deve trabalhar com a freqüência máxima de
varredura de refresh (no caso do meu monitor: 85Hz) pois isso também diminui
o tempo de vida do monitor. Deveria-se trabalhar com uma freqüência
intermediária ou abaixo do máximo, tipo 72, 75Hz por exemplo. Isso também
está certo?

Mais ou menos. A taxa de refresh usada, realmente interfere na vida útil do monitor, já que está diretamente relacionada com a vida útil do tubo de imagem, o principal componente. Usando 72 Hz ao invés de 85 Hz por exemplo, sem dúvida o monitor irá durar um pouco mais, porém em compensação quem vai "durar menos" são seus olhos... vai do que você considera mais importante...

O que deve ser evitado é usar freqüências de atualização superiores às informadas nas especificações. Por exemplo, se no manual é informado que o monitor suporta 75 Hz de refresh a 1024 x 768, provavelmente você conseguirá utilizar freqüência um pouco superiores a isso, 80 Hz, até 85 Hz dependendo do monitor, porém trabalhando acima da especificação o monitor também durará muito menos do que o anunciado.

Voltando ao ponto dos danos à visão, quanto mais alto for o refresh-rate, ou taxa de atualização usada, mais estável será a imagem do monitor. Consequentemente, você poderá ficar mais tempo trabalhando sem sentir cansaço, dor de cabeça, etc. os sintomas comuns em monitores com um refresh rate mais baixo.
Isto tem a ver também com a claridade da imagem, é recomendável usar o monitor com menos brilho possível, dentro do confortável.

Tem um tutorial meu sobre este tema no site:
http://www.guiadohardware.net/tutoriais/monitores/monitores.asp


Oi Morimoto!
Li o boletim sobre dúvidas sobre monitores (02/28) e fiquei bastante
preocupado, pois uso o meu computador muito como dicionário, e isso exige
que eu fique ligando e desligando o monitor para poupar energia.
Como já sabia que desligar o monitor várias vezes reduz sua vida útil
resolvi ativar o Gerenciamento de energia do Windows o que me salva muitos
tostões, mas depois desse boletim...
A minha dúvida é:
Usar a proteção de tela "tela em branco" economiza energia sem "matar" o
monitor? E quanto economiza?

Esta proteção de tela não desliga o monitor, apenas faz com que a tela fique preta. Isso não causa nenhum prejuízo ao monitor. A economia de energia é naturalmente muito menor do que a obtida colocando o monitor em standby, cerca de apenas 25%, mas não deixa de ser uma economia considerável. Esta proteção é um bom meio de tentar economizar energia caso o micro vá permanecer ocioso por curtos períodos de tempo.


Desligar ligar também afeta o tempo útil de monitores de cristal líquido?

Também, não apenas dos monitores, mas de todos os componentes eletrônicos. A grande chave é sempre considerar o tempo que o dispositivo ficará sem uso para ver se vale ou não à pena desliga-lo.


Usar o desligamento automático dos HD's também reduz a deles?

Os HDs são os que mais sofrem ao serem continuamente desligados, pois o motor de rotação é muito exigido quando o HD é ligado, até os discos atingirem a velocidade de rotação ideal. As cabeças de leitura também sofrem um desgaste considerável, pois apesar de estarem em posição de descanso, elas entram em atrito com os discos, á que o colchão de ar (que permite o acesso ao disco sem que as cabeças de leitura toquem os discos magnéticos) só é formado quando estes atingem uma rotação próxima da máxima.

Considerando os danos que um HD problemático pode causar aos seus dados, eu pessoalmente não recomendo ativar a economia de energia para o HD, a menos que seja o caso de um PC que vá ficar sem atividade durante muitas horas.


Para quê monitores com USB?

Os "monitores USB" nada mais são do que um monitor comum com um Hub USB embutido. O hub USB permite acoplar vários periféricos à mesma porta USB. Você decide se vai precisar deste recurso e se vale à pena pagar mais por ele.