:. O futuro dos Tablet PCs

 Por Carlos E. Morimoto
 http://www.guiadohardware.net
 13/11/2002


Os Tablet PCs são essencialmente PCs completos, que são compactos o suficiente para cabarem num gabinete do tamanho de uma prancheta e bastante leves para serem carregados com apenas uma mão sem muito esforço. É basicamente um notebook ultraportátil, sem teclado e com um LCD sensível ao toque, permitindo que a caneta sirva tanto como substituto para o mouse quanto como um substituto para o teclado, seja usando um sistema de reconhecimento de escrita qualquer ou através de um teclado on-screen. O uso da caneta é prático na posição em que os Tablet PCs são mais frequêntemente usados, ou seja, segurando com uma mão e usando a caneta com a outra.

Naturalmente, nada impede que seja adicionado um teclado USB. Alguns fabricantes estão desenvolvendo também protótipos com teclados destacáveis.

Os Tablet PCs podem vir a fazer um estrondoso sucesso, não como substitutos dos PCs, mas como um complemento que permita que você acesse a Web, E-mail e os seus arquivos pessoais em qualquer lugar.

A maioria dos usuários acha cansativo ler longos textos na frente do PC, prefere imprimir os textos e ler sentado mais confortavelmente ou deitado na cama. Por outro lado, imprimir textos longos com frequência sai caro, sem falar que ao ler algo impresso você perde a possibilidade de ir pesquisando temas relacionados ao texto e ir tirando as dúvidas conforme lê, que é a principal vantagem em ler material da Web em primeiro lugar.

Os Tablet PCs resolvem esse problema, pois podem ser usados em praticamente qualquer lugar. Seja durante uma reunião, na varanda de casa ou no meio de um congestionamento, sem falar na utilidade que eles podem ter ao serem usados como ferramentas de apoio em escolas, substituindo o médoto antiquado, ineficiente e burro de ficar copiando textos da lousa ao invés de usar a aula para discutir o tema e trocar idéias. Com a grande oferta de e-books e apostilas na web, pode ser diminuído também o uso de livros impressos.

Além da utilidade como ferramenta de estudo, os Tablet PCs podem ser usados para transportar dados, ouvir MP3 e assistir vídeos (já que temos um PC completo, com um processador razoavelmente rápido e HD), jogos e assim por diante. Aplicativos de reconhecimento de voz e sintetizadores de voz (para "ler" textos enquanto estiver dirigindo num congestionamento por exemplo) também seriam bem vindos.

Mas, para que os Tablet PCs possam realizar este potencial é necessário satizfazer um requisitos fundamental: eles devem ser baratos, afinal os poucos que têm condições de pagar 3 ou 4 mil dólares por um dos modelos atuais (como este da Acer baseado no Microsoft Pocket PC que apresento aqui: http://www.guiadohardware.net/news/2002/10/index.asp#17) não vão se arriscar a sair passeando com ele por aí, o que no final acaba diminuindo a utilidade do aparelho.

Para tornarem-se uma ferramenta de uso geral, os Tablet PCs precisam ser uma ferramenta barata, que apesar da portabilidade não custe muito mais do que um PC popular. Pode parecer uma meta difícil de atingir, mas não é tanto assim.

O componente mais caro, tanto num notebook quanto num Tablet PC é a tela de LCD. Atualmente a produção de telas de LCD está crescendo bastante e os fabricantes estão conseguindo operar com uma boa margem de lucro. A Sony divulgou em seu último relatório que a empresa já lucra mais com a venda de monitores LCD do que com os CTR. Considerando que o volume de LCDs é bem menor, significa que o lucro por unidade é muito maior. Se o mercado é lucrativo, significa que mais e mais empresas começarão a investir na produção de LCDs, empurrando os preços para abaixo.

Mesmo atualmente os LCDs já começam a aparecer a um preço mais aceitável. Os modelos mais baratos da linha Desknote da ECS por exemplo já custam (nos EUA) pouco mais de 700 dólares, mas utilizando uma tela de 15" polegadas. Os Tablet PCs utilizam sempre telas menores, geralmente de 10", devido às dimensões reduzidas do aparelho. Como o preço das telas cai proporcionalmente à redução na área, significa que uma tela de 10" pode custar entre 120 e 150 dólares mais barato (para o fabricante) que uma de 15".

Os Tablet PCs também não possuem teclado, o que também ajuda a diminuir os custos. O processador também pode ser mais simples e barato, não só por que o Tablet PC será geralmente usado para executar tarefas mais simples, mas também para diminuir o problema de aquecimento. Um Via C3, ou mesmo um Athlon de baixo clock, ambos processadores baratos, combinados com um cooler mais simples que o encontrado na maioria dos notebooks podem dar conta do recado.

Juntando as economias no LCD, no teclado e no processador/cooler, é possível que produzidos em grande quantidade, os Tablet PCs custem por volta dos 500 dólares, mais barato que um PC razoavelmente equipado ou até mesmo que alguns handhelds.

Falar em Tablet PCs de 500 dólares, enquanto os fabricantes oferecem modelos custando entre 2 e 5 mil, pode parecer muito estranho, mas lembre-se de que toda tecnologia custa muito caro no início. Hoje em dia praticamente todo mundo pode comprar um celular, mas você lembra-se de quanto eles custavam a 6 anos atrás?

No início os preços são sempre mais altos, pois os fabricantes precisam diluir os custos de desenvolvimento em um número muito pequeno de unidades vendidas. Com o passar do tempo mais fabricantes lançam seus produtos, os preços caem e as vendas começam a subir, empurrando os preços cada vez mais pra baixo. Vimos isso com os gravadores de CD e estamos vendo uma reprise com os gravadores de DVD.

A grande pergunta é quanto tempo os Tablet PCs podem demorar para chegar a este nível de popularização? Isso ninguém pode dizer, mas já tem gente apostando na idéia.

Este artigo publicado pelo Michael Robertson da Lindows.com promete um Tablet PC popular que, segundo o prometido, custará pouco mais de 500 dólares e será lançado no início de 2003. Este modelo é naturalmente baseado no Lindows, mas não resta dúvidas que como em qualquer PC você poderá instalar outras versões do Linux ou Windows:

http://www.lindows.com/lindows_michaelsminutes_archives.php?id=37

Se realmente conseguirem cumprir a promessa este modelo pode vir a fazer bastante sucesso, abrindo as portas para modelos de outros fabricantes.

Pela foto e especificações o modelo parece bastante bastante interessante. Ele tem um processador Crusoé de 666 MHz, 256 MB de memória SDRAM, 20 GB de HD, som e uma placa de rede 10/100 embutida. Estão disponíveis também slots PCMCIA para a conexão de uma placa de rede wireless ou de um modem. O que chama mais a atenção é o tamanho. Ele mede apenas 25 x 20 cm e pesa menos de 1 Kg, já incluída a bateria. A tela é de 8.4" com resolução de 800x600.

Alguém pode levantar a velha questão "será que um computador com o Linux pode fazer sucesso entre os usuários leigos?". Bem, em primeiro lugar, os Tablet PCs são feitos para sobretudo para navegação na Web, para ouvir música e ler textos em PDF e outros formatos. Neste quesito tanto faz utilizar o IE e o WinAmp ou o Mozilla e o XMMS já que a interface é a mesma. Arquivos do Office, também podem ser abertos e alterados sem problemas no OpenOffice e já existem plug-ins para Flash, Real Player e recentemente também para o QuickTime.

A maior dificuldade dos usuários leigos com o Linux é a instalação do sistema, o que não é problema num aparelho que vem com tudo configurado de fábrica. Outro ponto é que utilizando o Linux os fabricantes podem incluir mais programas e jogos, o que deve agradar aos usuários. O Palm também roda um sistema "alternativo", muito menos parecido com o Windows do que qualquer distribuição Linux e ainda assim vende quase 3 vezes mais que os handhelds baseados no Pocket PC da Microsoft.

De qualquer forma, a Microsoft está investindo bastante numa versão reduzida do Windows XP para uso em Tablet PCs, então é questão de simplesmente escolher o produto que lhe agradar mais.

Além da questão do preço, outro pré-requisito para os Tablet PCs é a necessidade de algum tipo de rede Wireless, de preferência 802.11b, já que o Bluetooh oferece um alcance e taxa de transmissão muito baixos. As placas 802.11b já são relativamente baratas, pelos menos nos EUA, onde já existem modelos na faixa dos 60 dólares. Caso os fabricantes passem a utilizar placas mãe com um transmissor integrado e antenas embutidas na própria carcaça do aparelho, o custo pode cair ainda mais.

Como os celulares 2.5G estão se popularizando, haverá a opção também de comprar um cabo e navegar utilizando a conexão do celular enquanto estiver em trânsito. Pode ser uma maneira de tentar trabalhar em alguma coisa durante o tempo em que ficar preso nos congestionamentos, principalmente se você mora em São Paulo :-)

Concluindo, deve demorar ainda mais alguns anos, mas já parece claro que os Tablet PCs serão a próxima onda da informática, servindo como uma opção de segundo PC e substituto do notebook. É mais um motivo para continuar estudando sobre redes, pois com eles o acesso à Internet e o compartilhamento de arquivos, impressoras e outros recursos ganharão um novo impulso. Basta lembrar que a maioria dos Tablet PCs não virão nem com CD-ROM nem disquete, tornando o acesso à Internet e a conectividade com um PC quase que obrigatório.