Guia do Hardware.Net
Impresso em: 6/3/2003, 21:46:52
Impresso de: http://www.guiadohardware.net/curso/redes_guia_completo/48.asp

Cursos online :. Guia Completo de Redes

+ HOME
   :. Análises
   :. Artigos
   :. Cursos Online
       :. Hardware
       :. Redes
       :. Linux (foca)
       :. Gravação CDs
       :. Notebooks
       :. Setup
   :. Livros
      
:. Entendendo e
    Dominando o Linux 4.Ed
   :. Arquivo DDD
   :. Dicionário
   :. FAQ
   :. Notícias
   :. Dicas Linux
   :. Overclock
   :. Tutoriais

+ Publicações
   :. CD GDH
   :. CDs Mandrake
   :. CDs do Linux
   :. E-Books

+ Kurumin Linux

+ Outros
   :. Fórum
   :. Humor
   :. Palm
   :. Quiz

+ Pesquisar no site:

+ Expediente

+ Comente esta
   Matéria

Dúvidas sobre
Linux?
Baixe o E-book
Entendendo e Dominando o Linux
de Carlos E. Morimoto
ou increva-se no
Curso de Linux
em SP


Invista em
conhecimento:
:.CD-ROM Guia do Hardware: Todos os e-books e uma cópia off-line de todo o site por R$ 21,00
:.Linux Mandrake 9.0 GDH, com manual em Português e aplicativos. 4 CDs por R$ 24,00
:. E-Books de Carlos E. Morimoto:
Manual de Hardware Completo 3ed.
Redes 3ed
Upgrade e Manutenção
Novas tecnologias 3Ed
Entendendo e Dominando o Linux
Dicionário Técnico de Informática. R$ 8,00

:. CDs do Linux:
Slackware 8.1 R$ 8,00
Red Hat 8.0 R$ 16,00
DemoLinux 3.0 R$ 8,00
Knoppix R$ 8,00
Peanut 9.1 R$ 8,00
FreeBSD R$ 20,00
NetBSD R$ 16,00
Libranet R$ 8,00
Debian 3.0 R$ 35,00
Definity R$ 8,00
E outras distribuições

 

Dicas do dia : Receba as atualizações do Guia do Hardware todos os dias, direto no seu e-mail. Clique aqui para se inscrever.
 

Data: 29.03.2002
Tipo: Curso
Fabricante: Não se Aplica
Por: Carlos E. Morimoto

 

 Guia Completo de Redes

:. Acessando compartilhamentos de máquinas Windows

O Samba também inclui um módulo cliente, o smbclient que pode ser usado para fazer inverso, ou seja, acessar compartilhamentos de máquinas Windows apartir do Linux.

O uso deste comando é bastante simples. Abra um terminal e digite:

smbclient -L nome_da_maquina


Como por exemplo smbclient -L ascot. Ele pedirá a sua senha de usuário e em seguida mostrará uma lista dos compartilhamentos disponíveis na máquina que solicitou:


Lembre-se as máquinas Windows 95/98/ME aceitam conexões de rede por parte de qualquer usuário. A única opção de segurança é colocar senhas nos compartilhamentos. Mas, as máquinas rodando Windows NT ou Windows 2000 precisam ser configuradas para dar acesso ao login que você está utilizando na máquina Linux. Para isso basta acessar o painel de controle > usuários e senhas (no Windows 2000) e adicionar o login e senha.

Voltando à configuração do smbclient, depois de decidir qual compartilhamento quer acessar, você deverá montá-lo para ganhar acesso. Você pode montar o compartilhamento em qualquer pasta vazia do sistema. Como exemplo eu montei o compartilhamento C disponível na máquina ascot no diretório /mnt/windows da máquina Linux. Para isso o comando é o seguinte:

mount -t smbfs //ascot/c /mnt/windows -o password=xxxxx
(substituindo o xxxxx pela senha, naturalmente)


O comando mount é um dos comandos mais tradicionais do Linux, que permite mapear um diretório qualquer dentro de outro diretório do sistema para que este possa ser acessado. A opção -t serve para especificar o sistema de arquivos, já que não estamos utilizando um sistema de arquivos nativo do Linux. O smbfs indica o sistema de arquivos que será utilizado, este sistema que permite mapear unidades de rede compartilhadas pelo Windows.

Em seguida, especificamos o compartilhamento e o diretório onde ele será montado seguido pelo -o. Este é só um exemplo. Se você for montar o compartilhamento arquivos dentro da máquina ricardo no diretório /home/maria/ricardo da máquina Linux, o comando seria:

mount -t smbfs //ricardo/arquivos /home/maria/ricardo -o password=xxxxx

E assim por diante.


No password=xxxxx você deve informar a senha do compartilhamento que está sendo acessado. Se ele não tiver senha, basta deixar este último campo em branco.

Depois do comando você pode dar um ls no diretório onde o compartilhamento foi montado só para checar se os arquivos realmente estão lá:


Depois de montado, o compartilhamento pode ser acessado pelo gerenciador de arquivos da sua interface (Konkeror no KDE, nautilus no Gnome, etc.):


No Mandrake 8.1 e outras distribuições que trazem a ferramenta DiskDrake, como por exemplo o TechLinux, você pode montar as partições Windows de um jeito mais prático.

O DiskDrake pode ser encontrado dentro do Mandrake Control Center na seção Hardware > Pontos de Montagem. A parte que nos interessa está na aba Samba:


O funcionamento é muito simples. Clique em novo e aponte o compartilhamento a ser montado na janela que será aberta. Serão mostrados todos os compartilhamentos disponíveis na rede, inclusive os de outras máquinas Linux rodando o Samba.


Em seguida, basta fornecer o ponto de montagem desejado. Note que dentro do diskdrake você tem privilégios de root e pode montar os compartilhamentos onde quiser. Mas, tenha o cuidado de não montar numa pasta onde seu login de usuário (ou de quem for usar a máquina) não tenha permissão de acesso.


Para finalizar, basta montar o sistema de arquivos para ter acesso. Por default, ele passará a ser montado a cada inicialização do sistema, até que você volte aqui e desmonte-o. Mas, você pode alterar isso na seção opções.


:. Configurando manualmente

Se por qualquer motivo o Swat não estiver instalado no seu sistema, ou você preferir configurar tudo manualmente, basta abrir o arquivo smb.conf, que concentra as configurações do Samba, num formato semelhante ao das opções do Swat, mantendo as mesmas seções: global, homes, printers, etc. Ao instalar o Samba é criado um smb.conf com configurações default, você precisará apenas alterar as mesmas opções que alteraria no Swat.

O smb.conf pode ser encontrado em /etc/samba (no caso do Mandrake) ou em /etc (no caso de algumas distros). Para abri-lo, com privilégios de root, você pode digitar simplesmente kdesu kedit /etc/samba/smb.conf num terminal.

# Global parameters

[global]

workgroup = HOME

netbios name = BETA-2

server string = Samba Server %v

interfaces = eth0

encrypt passwords = Yes

log file = /var/log/samba/log.%m

max log size = 50

socket options = TCP_NODELAY SO_RCVBUF=8192 SO_SNDBUF=8192

printcap name = lpstat

os level = 100

dns proxy = No

hosts allow = 192.168.0.

printing = cups


[homes]

comment = Home Directories

read only = No

browseable = No


[printers]

comment = All Printers

path = /var/spool/samba

create mask = 0700

guest ok = Yes

printable = Yes

print command = lpr-cups -P %p -o raw %s -r # using client side printer drivers.

lpq command = lpstat -o %p

lprm command = cancel %p-%j

browseable = No


[morimoto]

path = /home/morimoto

read only = No


[cd]

path = /mnt/cdrom


[HP]

path = /var/spool/samba

read only = No

create mask = 0700

guest ok = Yes

printable = Yes

print command = lpr-cups -P %p -o raw %s -r # using client side printer drivers.

lpq command = lpstat -o %p

lprm command = cancel %p-%j

printer name = HP

oplocks = No

share modes = No


O Swat serve apenas como uma interface para a edição deste arquivo. Seja qual for o modo de configuração escolhido, basta fazer backups regulares deste arquivo para restaurar as configurações do servidor em caso de problemas.

Sempre que alterar manualmente smb.conf, ou mesmo alterar algumas opções pelo Swat e quiser verificar se as configurações estão corretas, rode o testparm (basta chama-lo num terminal). Ele funciona como uma espécie de debug, indicando erros grosseiros no arquivo.

Se por acaso você estiver utilizando uma distro que não venha com o Samba, basta baixar o RPM adequando à sua distribuição aqui: http://us1.samba.org/samba/ftp/Binary_Packages

Para instalar, basta clicar sobre o arquivo ou usar o comando rpm -ivh nome_do_arquivo no terminal.

Depois de instalar o arquivo e configurar o smb.conf, use os comandos abaixo para inicializar, parar e verificar o status do serviço sempre que precisar:

/etc/rc.d/init.d/smb start

/etc/rc.d/init.d/smb stop

/etc/rc.d/init.d/smb status


O comando smbstatus também é muito útil, pois permite verificar quais estações estão conectadas ao servidor e quais recursos estão sendo acessados no momento.


« Voltar .: | :. Usando o NFS »

 

© 1999 - 2002 :. Todos os direitos reservados :. Guia do Hardware.Net
http://www.guiadohardware.net/